Câncer de Boca e Orofaringe - Sintomas e Fatores de Risco

Pouco se fala sobre o câncer de boca. Mas essa realidade está mudando, já que esse está entre os 5 tipos de câncer mais comuns entre os homens no Brasil. Portanto é importante conhecer os principais sintomas e fatores de risco para saber quando buscar ajuda. Continue a leitura e saiba mais!

O câncer de boca (também conhecido como câncer de lábio e cavidade oral) é um tumor maligno que afeta lábios, estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo da língua. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), esse tipo de câncer é mais comum em homens acima dos 40 anos.

Sendo o quarto tumor mais frequente no sexo masculino na região Sudeste, é importante conhecer os fatores de risco do câncer de boca e as formas de preveni-los. Abrangendo toda a cavidade oral, a doença se manifesta de forma silenciosa e, em alguns tipos, pode atingir as camadas mais profundas da boca e gerar metástases.

A maioria dos casos de câncer de boca é diagnosticada em estágios avançados. A parte posterior da língua, as amígdalas e o palato fibroso fazem parte da região chamada orofaringe e seus tumores têm comportamento diferente do câncer de cavidade oral.

A doença pode apresentar diferentes características. Uma avaliação dessas características e da sua localização e origem é que se diferenciam os diferentes tipos de câncer de boca. São eles:

  • Carcinoma de células escamosas;

  • Câncer de boca relacionado ao HPV;

  • Carcinoma verrucoso;

  • Carcinoma de glândulas salivares menores;

  • Linfomas.

Diagnóstico e sintomas do câncer de boca e orofaringe

A detecção de alguns dos tipos de câncer de boca pode começar no consultório do dentista. Nas consultas de rotina, esse profissional consegue observar alterações que podem servir como sinais de alerta (manchas, placas ou lesões características).

Sempre que houver suspeita, é preciso realizar uma avaliação detalhada, com o apoio de exames de imagens, laboratoriais e até mesmo biópsia, para detectar a presença de um tumor maligno e definir a melhor conduta de tratamento.

Os primeiros sinais do câncer de boca podem ser desde lesões na cavidade oral ou nos lábios até manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas. O surgimento de rouquidão persistente também pode ser indício da doença.

Os sinais e sintomas do câncer de boca e orofaringe também podem incluir:

  • Ferida na boca que não cicatriza;

  • Dor na boca que não desaparece;

  • Caroço ou inchaço na bochecha;

  • Ferida na garganta ou sensação de ter algo na garganta;

  • Dificuldade de mover a mandíbula ou a língua;

  • Dormência na língua ou outra área da boca;

  • Próteses mal ajustadas ou desconfortáveis;

  • Enfraquecimento dos dentes ou ao redor dos dentes;

  • Alterações na voz;

  • Dor no ouvido.

Nas fases mais avançadas, o câncer de boca também provoca mau hálito, dificuldade em falar e engolir, caroço no pescoço e perda de peso. Ainda assim, é importante ressaltar que muitos desses sinais e sintomas também podem ser provocados por problemas benignos ou até por outros tipos de câncer.

Desde logo, aconselhamos que você consulte um médico caso alguma dessas condições durem mais que duas semanas. Um profissional qualificado poderá oferecer um diagnóstico e, se necessário, indicar o melhor tratamento levando em conta o seu histórico médico.

Quais são os fatores de risco para o câncer de boca?

O tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas são os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer da boca. Pessoas que fumam e consomem bebidas alcoólicas excessivamente têm maior risco de desenvolver o câncer de boca. O risco aumenta quanto maior for o número de cigarros e de doses de bebidas consumidos.

Outro fator de risco para o desenvolvimento de câncer de boca e orofaringe, é o vírus do papiloma humano (HPV). O tipo associado com o câncer de garganta (incluindo o câncer de orofaringe) é o HPV16.


O excesso de gordura corporal e a exposição a substâncias como óleo de corte, amianto, poeira de madeira, poeira de couro, poeira de cimento, de cereais, têxtil e couro, amianto, formaldeído, sílica, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxico também contribuem para o surgimento do câncer de boca.

Mesmo com os fatores de risco, é possível descobrir o câncer de boca no início. O exame rotineiro da boca feito por um profissional especializado pode diagnosticar lesões no início, antes de se transformarem em câncer.

Pessoas com mais de 40 anos que fumam e bebem devem estar mais atentas e comparecer sempre ao seu medico de confiança ao menos uma vez ao ano.

Como obter o diagnóstico e tratar a doença?

O dentista ou outro profissional que cuida da sua saúde pode encontrar alguns tipos de câncer ou pré-cânceres de boca e orofaringe durante um exame.

No exame clínico com especialista em cabeça e pescoço, o profissional poderá observar as possíveis lesões que possam indicar câncer de boca e orofaringe. Também há a possibilidade de encontrar alterações que surgiram em um estágio pré-cancerígeno, como protuberâncias ou áreas anormais na cabeça, rosto e pescoço.

Como a orofaringe está dentro do pescoço, o médico poderá utilizar alguns aparelhos como o laringoscópio ou ainda um endoscópio para examinar essas áreas. Ambos os exames podem ser feitos no consultório e o médico utilizará anestésico local em spray para deixar a região adormecida.

Um outro exame que também pode ser feito é a panendoscopia. Esse procedimento permite que o profissional examine cuidadosamente a boca, orofaringe, esôfago, traqueia e os brônquios.

Uma vez é detectado o tumor, as amostras são encaminhadas para biópsia para identificar o teor do mesmo. Também são feitos exames com o paciente para determinar a extensão da enfermidade e os tratamentos mais indicados.

Você pode diminuir os riscos de desenvolver câncer de boca adotando algumas medidas:

· Evite ou reduza o tabagismo e o consumo de álcool;

· Mantenha uma boa higiene bucal;

· Preze por uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes;

· Faça check ups periódicos com o regularmente;


Busque apoio de um médico interessado em avaliar a sua saúde como um todo, e não apenas em tratar uma doença estabelecida. A prevenção é a maior aliada da sua saúde.

Muito prazer, eu sou o Dr. Marcelo Schalch, Cirurgião de Cabeça e Pescoço e especialista em cirurgia de tireoide, tumores benignos e cânceres na região da cabeça e do pescoço.

Quero te ajudar a recuperar sua saúde. Trabalharei com você para escolher a melhor opção para o seu caso específico, buscando soluções seguras e minimamente invasivas.