Câncer de Tireoide na Família: Preciso me Preocupar?

Se você apresenta algum caso de câncer de tireoide na família talvez se pergunte sobre as chances dessa enfermidade ser genética. Ainda que a doença seja um caso isolado na família, é normal se questionar se a sua saúde também está em risco. Acompanhe o nosso artigo para entender um pouco mais sobre o tema.

Quando surge um caso de câncer de tireoide na família o primeiro a se fazer é deixar todos calmos. De forma geral, os cânceres de tireoide são esporádicos, o que significa um caso isolado na família. Sendo assim, é provável que nenhum outro familiar desenvolva a doença.

Alguns tipos mais raros de câncer de tireoide podem ter uma maior probabilidade de transmissão genética, sendo o mais comum deles o papilífero. Ainda assim, dentro deste existe uma pequena porcentagem de casos (de 3 a 9%) onde há uma herança genética envolvida. Esse fato nos indica que é possível ocorrer mais de um caso na família.

Para saber se a sua família se encaixa nessa condição, é necessário que haja dois ou mais parentes de primeiro grau afetados. Nesse caso, não pode haver outro problema ambiental capaz de provocar câncer, como por exemplo a radiação.

O câncer de tireoide na família

Embora os cânceres de tireoide possam estar relacionados a uma série de condições hereditárias, a causa exata da maioria ainda não é conhecida. Alterações genéticas hereditárias ou não podem propiciar o desenvolvimento de células cancerígenas naquele indivíduo.

Quando falamos em alterações genéticas herdadas, algumas delas contém instruções para controlar o crescimento e divisão das células. Os cânceres podem ser causados por alterações do DNA que se transformam em oncogenes (genes que promovem a divisão celular) ou que desativam os genes supressores de tumor.

Tais mutações podem levar ao surgimento de certos tipos de câncer, inclusive do câncer de tireoide. Dentre os diferentes tipos de câncer de tireoide na família estão:

O papilífero (entre 50% e 80% dos casos);

O folicular (de 15% a 20% dos casos);

Anaplásico, e

Medular.

É importante ressaltar que a presença de um caroço no pescoço, não necessariamente sinaliza a presença de um câncer. Entretanto, se você possui caso de câncer de tireoide na família, já foi submetido à radioterapia no pescoço ou tem uma dieta pobre em iodo, é recomendado fazer acompanhamento com um cirurgião de cabeça e pescoço para fazer acompanhamento.

Tenho um parente de primeiro grau com a doença. O que fazer?

Os estudos ainda não conseguiram definir uma rotina de exames para aqueles que são parentes de primeiro grau de pessoas que tiveram câncer de tireoide. Porém, entende-se haver uma relação entre a quantidade de familiares que apresentaram a enfermidade e a probabilidade de que novos casos venham a ocorrer.

Quanto mais casos de câncer de tireoide na família (três ou mais parentes de primeiro grau), maior a recomendação de fazer acompanhamento periódico de forma preventiva. Em pessoas com 2 casos ou menos de câncer de tireoide na família, a taxa de alterações malignas na tireoide era similar à da população geral.

Com isso percebemos que, quanto maior o número de casos de câncer de tireoide na família, maior a chance de que alguma alteração genética transmitida por gerações esteja relacionada à doença. E lembre-se que ter apenas um familiar com esse tipo de câncer, geralmente não representa um risco maior para o restante da família.

De qualquer forma, vale à pena mencionar o histórico familiar durante uma consulta médica de rotina. Assim o médico poderá avaliar a necessidade de realizar exames específicos e de acompanhamento.

O câncer de tireoide em geral é indolente, ou seja, de baixa mortalidade, e apresenta boas chances de cura quando descoberto e tratado rapidamente. A prevenção é o seu melhor aliado na manutenção da sua saúde.

O que fazer caso tenha casos de câncer de tireoide na família?

Famílias que tenham um alto número de casos de câncer de tireoide devem ser instruídas quanto à probabilidade de hereditariedade pelo seu médico. Em alguns casos será indicado fazer acompanhamento dos membros da família, aumentando as chances de um diagnóstico precoce e de cura total da doença.

Caso seja identificada alguma alteração genética associada a essa doença, como no carcinoma de tireoide medular hereditário, o cirurgião poderá recomendar a retirada da tireoide como forma de prevenir o surgimento da doença.

A principal recomendação para pessoas que têm casos de câncer de tireoide na família é para não se desesperar. Um caso de câncer de tireoide geralmente não está relacionado à fatores hereditários. Entretanto, se houver 2 ou mais casos da doença entre parentes de 1º grau, você pode buscar atendimento com um cirurgião de cabeça e pescoço para investigar a sua saúde e determinar a melhor forma de acompanhamento ou tratamento.

Busque apoio de um médico interessado em avaliar a sua saúde como um todo, e não apenas em tratar uma doença estabelecida. A prevenção é a maior aliada da sua saúde.

Agende uma Consulta

Muito prazer, eu sou o Dr. Marcelo Schalch, Cirurgião de Cabeça e Pescoço e especialista em cirurgia de tireoide, tumores benignos e cânceres na região da cabeça e do pescoço.

Quero te ajudar a recuperar sua saúde. Trabalharei com você para escolher a melhor opção para o seu caso específico, buscando soluções seguras e minimamente invasivas.